faróis   memorial   educacional   aviso legal   contato
 

 torres duplas - uma opção para diferenciar estações

pintura de faixas melhora a visibilidade diurna
 

Como identificar e diferenciar um farol de outro

Durante séculos, os faróis exibiram luz fixa. Da necessidade de diferencia-los surgiram as torres duplas (ou triplas), até o advento de luzes rítmicas. Os lampejos surgiram á partir da rotação do aparelho ótico, e hoje são produzidos por eclipsores eletrônicos.

A pintura listada ou com outros padrões aumenta a visibilidade diurna. A combinação da aparência e do ritmo da luz da á cada farol uma identidade:

LP(2)B.15seg.32m.24M

Essa informação significa que o farol exibe 2 lampejos brancos a cada 15 segundos. Sua luz está á 32 metros acima do nível médio do mar e seu alcance (com um padrão de visibilidade meteorológica de 14,4 milhas) é de 24 milhas náuticas (uma milha = 1852 metros).

Dizemos que o farol emite “lampejos” quando o período de luz é menor que o de escuridão. Quando o farol passa mais tempo aceso, apresentando pequenos eclipses ocasionais, dizemos que ele exibe "ocultações":

Oc(3)E.12seg.25m.18M

Nesse caso, o farol tem uma luz encarnada que “apaga” 3 vezes a cada 12 segundos.

Além da cor branca (B), o encarnado (E), o verde (V) e o amarelo (A) também são usados como cor de luz em sinalização náutica. Encarnado significa "vermelho". Na pintura das torres, usa-se também o preto.