faróis   memorial   educacional   aviso legal   contato
 
farol olinda  

 Olinda
08 00,66S / 34 50,84W  (Olinda, PE)
Lp (2) B.35seg.90m.46M

"Ó linda situação para se construir uma vila". Com essa idéia, Duarte Coelho funda Olinda em 1537. Aos pés de suas colinas, o porto, onde se desenvolveria a cidade de Recife.

Por volta de 1854, o Farol de Recife sofria problemas de visibilidade. Foi sugerida a construção dos faróis de Olinda (ao norte) e do Cabo de Santo Agostinho (ao sul). O de Olinda  foi inaugurado em 18 de novembro de 1872 - uma torre octogonal de ferro de 19 metros, fabricada na Escócia e que foi originalmente pintada de vermelho.

Integrante do lote encomendado pelo engenheiro Zózimo Barroso (ver farol Itapuã), foi montado no forte São Francisco de Olinda (ou Montenegro) construído pelos holandeses em 1630. Seu aparelho dióptrico de 4ª ordem de luz branca fixa tinha alcance de 10 milhas. Em 1927 foi automatizado com equipamentos AGA e em 1937, eletrificado.

O avanço do mar fez com que se construísse uma nova torre em lugar mais alto. O local escolhido foi o morro do Serapião, em terreno doado pelo proprietário do sítio Manguinhos.

O atual farol tem torre de concreto com 42 metros de altura. Foi inaugurado em 7 de setembro de 1941, quando era Diretor Geral de Navegação o Vice-Almirante Tácito Reis de Moraes Rego, nome que batiza o atual órgão da Marinha responsável pelos faróis brasileiros. A obra foi realizada pelos irmãos Costa (ver farol Araçagí).

O aparelho ótico BBT de 3ª ordem é protegido por uma lanterna fabricada nas oficinas da Diretoria de Hidrografia e Navegação. O farol também tem um elevador, o primeiro do gênero no país.

 Veja em Memorial a foto do antigo farol.