faróis   memorial   educacional   aviso legal   contato
 
farol ponta do boi  

Ponta do Boi
23 57,99S / 45 15,08W  (Ilhabela, SP)
LpL.B.10s.70m.22M
Setor visível 247°- 092° / Racon B (-...) Bandas S e X / Estação de radiocomunicação

A maior ilha marítima do Brasil foi batizada de São Sebastião por Américo Vespúcio em 1502. A hoje famosa Ilhabela é também um cemitério com quase 100 embarcações, vítimas da combinação de nevoeiro com um forte vento sul (que valeu à praia do Bonete o apelido de "Cabo Horn" de Ilhabela).

Para sinalizar um ponto notável da ilha, a ponta do Boi, foi inaugurado em 10 de abril de 1900 o terceiro farol do Estado de São Paulo. O dificílimo acesso ao local foi a causa do atraso de mais de um ano na entrega da obra e de um estouro do orçamento original.

A torre branca de alvenaria de 17 metros abriga ainda hoje a lanterna e o sistema dióptrico de 3ª ordem original da marca BBT que lhe dava um alcance de 20 milhas. A construção foi inciada pelo Diretor de Faróis, CMG Leopoldino José dos Passos Júnior.

O modelo de torre ladeado de casas para os faroleiros foi adotado em outros faróis do mesmo período (ver faróis Macaé, Castelhanos e Ilha da Paz). Na década de 60 o farol foi eletrificado, com a instalação de motores à diesel.

Apesar da relativa proximidade da cidade de Ilhabela (antiga Vila Bela da Princesa) o acesso ao farol só pode ser feito de barco ou, como atualmente faz a equipe de manutenção, de helicóptero. Isso demonstra o isolamento enfrentado corajosamente por tantos faroleiros e suas famílias por mais de 100 anos.

Foto: Jornal Diário do Vale do Paraíba