faróis   memorial   educacional   aviso legal   contato
 
farol preguiças  

Preguiças
02 35,55S / 42 42,44W  (Barreirinhas, MA)
Lp.B.3seg.46m.43M

Entre os faróis Santana e Tutóia, no Maranhão, encontra-se uma formação arenosa de 155 mil hectares: os lençóis maranhenses foram formados pela ação dos ventos, soterrando vilas e cidades em seu caminho, criando o imenso areal que avança até 50 km continente adentro.

Desembocando ao lado do hoje Parque Nacional, o rio Preguiças é uma via natural de comunicação com Barreirinhas, a principal cidade da região, alcançada após um trajeto de 3 horas e meia.

Na barra do rio, baixios, altos fundos e recifes motivaram a construção de um farol, inaugurado em 16 de julho de 1909: uma torre de ferro do sistema Mitchell (ver farol São Tomé) com 23 metros de altura pintada de branco. Tanto a torre como o sistema luminoso à gás acetileno eram da marca Wilson, de origem canadense. Seu alcance era de 23 milhas.

A ação da maresia associada às fortes rajadas de areia acabou por corroer a velha torre, e em 3 de julho de 1941 entrou em operação o atual farol de concreto, 7 metros mais alto que o anterior e com projeto similar à do farol Mostardas, no Rio Grande do Sul. Luís Carmo Barbosa foi o mestre geral da obra. Foram reaproveitados a lanterna e o aparelho lenticular de 2ª ordem.

O farol pode ser visitado (das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h00), propiciando uma vista inesquecível aos que se dispõem à enfrentar a subida dos 160 degraus até a varanda. Aos seus pés, o povoado de Mandacaru é um dos núcleos de apoio aos visitantes do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, administrado pelo IBAMA.

Foto: Armando Fernandes