faróis   memorial   educacional   aviso legal   contato
 
farol ilha rasa  

Rasa
23 03,84S / 43 08,76W  (Ilha Rasa, entrada da baía de Guanabara ,RJ)
Lp.Alt.BBE.15seg.101m.51M(B) / 45M(E) (setor visível : 085º - 077°)
Radiofarol IH (.. ....) 315 Khz / Estação DGPS

Chegando ao Brasil em 1808, D.João VI ordenou o acendimento de uma fogueira todas as noites na ilha Rasa, localizada bem na entrada da baía de Guanabara para sinalizar o acesso ao cada vez mais movimentado porto do Rio de Janeiro.

No segundo semestre de 1819 foi iniciada a construção do farol, com projeto e supervisão do engenheiro João de Souza Pacheco Leitão. Com  26 metros de altura o farol só foi inaugurado em 31 de julho de 1829 porque o aparelho luminoso fabricado na França foi roubado por piratas argentinos durante o transporte.

Um novo aparelho de sistema catóptrico foi encomendado. Tinha alcance entre 12 e 15 milhas. Em 1869, o Ministro da Marinha solicitou a substituição desse aparelho, da lanterna e melhorias na torre.

Após 14 anos, o farol foi remodelado, tornando-se o primeiro da América do Sul á usar lâmpadas elétricas. Sua nova lente  dióptrica de 1ª ordem da francesa Sautter, Lemonnier & Cie foi instalada pelo engenheiro Louis Belenot. Seu alcance passou para 24 milhas. Em 2 de dezembro de 1883, o  imperador D.Pedro II inaugurou o novo sistema.

Devido ao alto consumo de carvão para o funcionamento dos geradores, a luz passou à ser gerada por vapor de querosene. Na ocasião (1909) entrou em operação o atual aparelho lenticular mesoradiante da marca BBT. Somente em 1951 o farol voltou à operar com energia elétrica fornecida por motores à diesel.

Sua luz de lampejos brancos e encarnados tem alcance de 51 milhas, o maior do país juntamente com o de Abrolhos.

Foto: CAMR