faróis   memorial   educacional   aviso legal   contato
 
farol sergipe  

Sergipe
10 58,18S / 37 02,17W  (Aracajú, SE)
Oc (6) B.60seg.41m.39M
Radiofarol AI (.- ..) 320 Khz / Estação DGPS

Em 1854, o presidente da Província do Sergipe Inácio Joaquim Barbosa solicitou a construção de um farol para sinalizar o porto da vila de Santo Antonio de Aracajú, na barra do rio Contiguiba (atual rio Sergipe). Dez anos depois, a vila se tornou  a capital da Província.

Aceso em 12 de outubro de 1861, sua torre octogonal de madeira de 35 metros teve seu aparelho de luz catóptrico  instalado numa lanterna de fabricação inglesa com setores branco, verde e encarnado. A luz tinha os seguintes alcances: branca, 9 milhas; verde e encarnada, 6,5 milhas.

Em 1881 a construção ameaçou ruir. O diretor de faróis, Capitão-Tenente Pedro Benjamim de Cerqueira Lima solicitou a substituição por uma torre de alvenaria. O pedido não foi atendido, e em 27 de março de 1884 o farol foi destruído por um incêndio.

Uma luz provisória funcionou até 1886, quando o mecânico francês Victor Alinquant iniciou a montagem de uma torre tipo Mitchell (ver farol São Tomé), inaugurada em 7 de setembro de 1888. Com 35 metros de altura, foi pintada de branco e equipada com um aparelho ótico BBT  de 3ª ordem. Seu alcance era de 17 milhas.

Devido ao grande número de edifícios altos nas imediações, foi necessária a construção do atual farol na praia da Coroa do Meio. Obra da construtora Celi, a torre de concreto de 40 metros foi inaugurada em 12 de julho de 1991, e para lá seguiu o  aparelho ótico da antiga torre, que foi entregue ao Serviço de Patrimônio Histórico de Sergipe.

Após  anos de completo abandono, essa torre foi completamente restaurada em 2009 (Veja foto em Memorial).