farol escalvada

Escalvada

 20 42,00S / 40 24,40W Ilha Escalvada, Guaraparí, ES

R(2).B.6s.27m.15M  

 

Guarapari (vocábulo de origem indígena, derivado de guará, ave comum na região e pari ou parim, cercado para apanhar peixe) foi um dos núcleos fundados pelo Padre José de Anchieta no Espírito Santo.

Em 22 de agosto de 1895, o Almirante Francisco José C. Netto, chefe da Carta Marítima, pede autorização ao Ministro da Marinha para encomendar ao fabricante francês BBT um farol para a ponta da Raposa naquela localidade, atendendo à solicitação do Diretor de Faróis na ocasião Capitão de Mar e Guerra Leopoldino José dos Passos.

Além de complementar a rede de sinais, o farol serviria de referência às embarcações que demandavam o porto de Guarapari, na ocasião o mais importante ao sul de Vitória, de onde, até 1940, se exportava a areia monazítica, abundante na região.

Após uma comissão pelos faróis do Espírito Santo, o engenheiro naval Marques Couto recomendou que o farol deveria ser instalado na ilha Escalvada, uma formação rochosa deserta à aproximadamente 4 milhas do ponto originalmente escolhido.

Inaugurado em 21 de agosto de 1907, sua torre de ferro pintada originalmente de roxo-terra de 16,5 metros foi equipada com um aparelho de luz branca de 5ª ordem, com alcance de 15 milhas.

Após a substituição por um sistema AGA à gas acetileno, o farol funciona hoje com uma lanterna acrílica alimentada por energia solar.

A Escalvada, além de renomado ponto de mergulho, é o maior santuário de reprodução de andorinhas-do-mar, que invadem a ilha entre maio e outubro.