farol itapuã da lagoa

Itapuã da Lagoa

 30 23,13S / 51 03,61W Viamão, RS

Lp.B.6seg.17m.12M

 

Os índios Patos (Carijós) foram os habitantes primitivos do entorno da maior lagoa brasileira, ligação entre Porto Alegre e o Oceano Atlântico.

Com a invasão da cidade de Rio Grande pelos espanhóis em 1763, a Capital da província de São Pedro do Sul (atual Rio Grande do Sul) foi transferida para Viamão, cujo porto daria origem à Porto Alegre. Desde então, a lagoa dos Patos se transformou num movimentado corredor.

Em 1827 o presidente da Província Salvador José Maciel solicita a instalação de um farol na ponta de Itapuã, local onde a lagoa encontra o rio Guaíba que dá acesso a capital gaúcha. Porém, somente em 1 de março de 1860 a torre projetada pelo engenheiro Roberto Dietrich entrou em operação.

Sua torre octogonal de alvenaria de 13 metros de altura se levanta do centro da casa dos faroleiros. Seu equipamento luminoso era catóptrico de luz fixa com alcance de 12 milhas, substituído em 1905 por um dióptrico BBT de 5ª ordem.

O terreno para a construção foi cedido à Marinha com a condição de que seu proprietário fosse nomeado guardião. Com a ativação de Itapuã da Lagoa, tornou-se dispensável o farol Barba Negra, em atividade desde 1849.

Os faroleiros foram dispensados em 1926 quando o farol passou a funcionar automaticamente com equipamentos AGA à gás acetileno. Atualmente dispõe de lanterna de acrílico alimentada por energia solar.

O farol está na área do Parque Estadual de Itapuã.

Foto: Danilo Chagas Ribeiro. Veja mais em www.popa.com.br