logo
FARÓIS      EDUCACIONAL    CONTATO

farol moela

MOELA

 24 03,04S / 46 15,81W Ilha da Moela, Guarujá, SP

Oc. Alt. BBBE.60seg.110m.40M(B) / 39M(E) / Radiofarol NR (-. .-.) 305 Khz / Estação DGPS

 

Desde 1 de maio de 1820 era cobrado dos navegantes um imposto pelo facho aceso todas as noites na ilha da Moela (Itamirindiba), que assinalava a entrada da barra do porto de Santos. Essa verba custearia as obras do primeiro farol do Estado de São Paulo.

Na época, a construção de faróis ficava a cargo da Junta de Comércio, Agricultura, Fábricas e Navegação, órgão português instituído no Brasil por D.João VI que se manteve durante o início do Brasil Império. A Junta encaminhou á D.Pedro I o pedido feito pelo Arsenal de Marinha de Santos. Sua Majestade então nomeou como projetista e responsável pela obra o Chefe de Divisão (equivalente hoje ao posto de Capitão-de-Mar-e-Guerra) Paulo Freire de Andrade.

No topo da ilha, 100 metros acima do nível do mar, foi construída uma torre circular de alvenaria branca com 9,5 metros de altura. Sua lanterna abrigava um aparelho de luz catóptrico de luz fixa branca.  O farol foi inaugurado em 31 de julho de 1830.

Em 1862 foi instalada uma lanterna maior para acomodar um novo aparelho luminoso, ainda catóptrico de luz fixa, substituído em 1895 pelo atual dióptrico de 1ª ordem BBT de luz branca e encarnada.

O farol opera desde 1953 com energia elétrica fornecida por motores à diesel.

Foto: Ricardo Siqueira, do livro "Luzes do Novo Mundo" (Todos os direitos reservados)