logo
FARÓIS      EDUCACIONAL    CONTATO

farol mucuripe

MUCURIPE

 03 43,57S / 38 28,32W Fortaleza, CE

Lp (2) B.10seg.134m.43M / Radiofarol MU (--..-) 295 Khz

 

Alguns historiadores sustentam que o espanhol Vicente Pinzón já teria estado em fevereiro de 1500 na praia do Mucuripe, se antecipando ao descobrimento "oficial" do Brasil. E foi nessa praia que se construiu o primeiro farol do Ceará, para sinalizar a entrada do porto de Fortaleza.

O projeto de uma torre octogonal de alvenaria de 9 metros de altura foi elaborado por Conrad Jacob de Niemeyer em 1828. O farol, construído pelos engenheiros Júlio Álvaro Teixeira de Macedo e Luís Manuel de Albuquerque Galvão só foi inaugurado em 1846, equipado com um aparelho catóptrico de luz fixa com alcance de 10 milhas.

O engenheiro cearense Zózimo Barroso elaborou planos para o porto comercial do Mucuripe, recomendando a substituição do farol antigo, quase em ruínas, por outro em ferro fundido. A encomenda incluía mais oito faróis para diferentes pontos do litoral (ver farol Itapuã).

Em 29 de julho de 1872 foi inaugurada a torre de secção circular com mesma altura e alcance do farol antigo, equipada com um aparelho de luz dióptrico rotativo de 4ª ordem, substituído por outro similar da marca BBT em 1908.

Em 13 de dezembro de 1958 uma torre de concreto de 22 metros com acabamento apastilhado em faixas brancas e pretas entrou em operação, obra da Construtora Ciclope (ver farol Araçagí). Localizado á 3 kilômetros do anterior, teve instalado um novo aparelho dióptrico BBT de 3ª ordem que mudou sua característica para 2 lampejos a cada 10 segundos. O antigo farol, desativado, está hoje em completo abandono.

Todas essas mudanças, somadas á eletrificação que chegou em 1964, buscavam um incremento na identificação do farol. Porém, sua altura limitava o crescimento vertical na região, o que levou á construção do atual farol do Mucuripe, ao lado do anterior, porém com altura de 71,1 metros, o que o torna o mais alto das Américas e o sexto do mundo.

Com projeto e execução do Grupo J.Macêdo, a nova torre manteve o padrão visual da anterior e recebeu o seu aparelho lenticular.

Foto: Luan Viana / Jornal o Povo